55 3352-4009
55 98414-1227
contato@biolabor.net.br

PROLACTINA

Uso: avaliação de tumores hipofisários (prolactinomas) e controle pós-tratamento; anormalidades hipotalâmicas; estudos de infertilidade, amenorréia, galactorréia e impotência. A prolactina é formada por 198 aminoácidos, sendo estruturalmente similar ao GH. É secretada através das células lactotróficas da hipófise anterior (amamentar é o estímulo primário para liberação de prolactina). Valores aumentados: tumores hipofisários, doenças hipotalâmicas, hipotireoidismo, tumores ectópicos, amenorréia, galactorréia, gravidez, insuficiência renal crônica, trauma de mama, hipotireoidismo primário, drogas, causas idiopáticas. A detecção da presença de macroprolactina em todos os soros que apresentam resultados superiores a 30 ug/L (teste de precipitação do polietilenoglicol) é uma boa prática para evitar tratamentos e outros exames desnecessários, pois nestes casos, os pacientes não apresentam tumores ou outras alterações funcionais. Intereferentes : Fenotiazidas podem elevar a prolactina e levodopa, dopamina, cromocriptina e hormonios tiroideanos podem suprimir a secreção de prolactina. Recomenda-se a dosagem de TSH após ou juntamente com a dosagem de prolactina para excluir hipotiroidismo.
Código: PROLA
Material: soro
Sinônimo: PRL
Volume: 1,0 mL
Método:
Volume Labex: 1,0 mL
Rotina: Diária
Resultado: 24h
Temperatura: Sob refrigeração
Coleta: Jejum de 4 horas. Se possível o paciente deve fazer repouso pelo menos 20 minutos.
Cod SUS: 0202060306
CBHPM: 4.03.16.41-6
Revisado: N
Esotérico: N

Mais exames

Mais exames