PESQUISA DE STREPTOCOCCUS AGALACTIAE EM GESTANTES COMO ROTINA LABORATORIAL

 

 

O Streptococcusagalactiaepode colonizar os trato vaginal, urinário e gastrointestinal sem causar sintomas. Sua maior relevância médica está principalmente, em casos de gestantes colonizadas, que podem vir a contaminar seus filhos no momento do parto e provocar quadros graves de septicemia e meningite nos neonatos (BORGER, 2005).

O Streptococcusagalactiae pode causar quadros clínicos leves de infecção, sendo ela vaginal e urinária ou até mesmo infecções graves como celulite e fascite; na gravidez, além das doenças citadas pode causar endometrite puerperal, amnionite e infecções de feridas na mãe. Seu maior índice são os casos graves de septicemia e meningites nos recém-nascidos, além da ocorrência de partos prematuros ou nascimento de crianças com baixo peso corporal. Muitos neonatos, particularmente prematuros, nascidos de mãe colonizadas pelo Estreptococo do Grupo B e talvez infectados ainda no útero, podem estar criticamente doentes ao nascer, tendo um baixo prognóstico e uma mortalidade de 15% a 20% (BORGER, 2005).

A detecção e tratamento adequado desta bactéria com antecedência pode evitar maiores transtornos no futuro. Desta forma, procure o seu médico e converse com ele sobre a necessidade da realização de um exame para detecção do Streptococosagalactiae.

 

CategoryUncategorized

Telefone         (55)3352-4009